domingo, 9 de dezembro de 2012


o verso
riscado no chão,
era pisado,
ninguém via.
até
que um cabisbaixo
o leu um dia.


20 comentários:

  1. Nem tudo passa despercebido para todos.

    Beijos, Letícia - @welovendless ♡
    http://wesoldiersoflove.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tem sempre alguém que presta atenção nos detalhes.

    http://cafeeocio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Lembrei de um curta chamado o céu no andar de baixo, lindo.

    Parabéns pelo blog!

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Quem encontra essas mensagens que estão bem perto mas poucos conseguem ver é especial!

    Muito lindo o seu blog, estou te seguindo!

    ResponderExcluir
  5. O verso decaído permanece por escrever

    Bjo.

    ResponderExcluir
  6. haha, puta que pariu!

    confesso que arrancou um sorriso aqui que ha muito eu não dava nessa tal de blogosfera. Acho que fui um dos cabisbaixos aí.

    lindo! Beijo!

    ResponderExcluir
  7. E sorriu.
    Um sorriso bem largo e natural.

    Assim como o meu ao ler seus versos.

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga

    Que neste Natal,
    diante das pessoas que amamos,
    possamos ofertar a elas,
    o melhor presente
    que desejassem receber:
    Nossa vida...
    Nosso carinho...
    Nosso coração.

    Para quem crê na vida,
    Natal se faz a cada dia.
    Que assim seja o Natal
    Em tua vida.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
  9. Ótima surpresa o seu blog, Vanessa. Sua poesia é muito boa. Enxuta, tensa e, o que é importantíssimo pra mim, com humor.

    ResponderExcluir
  10. e às vezes, as coisas estão bem "debaixo do nosso nariz" e não percebemos. TRUE STORY.
    ~Emilie Escreve~

    ResponderExcluir
  11. Me too!..
    E gosto dessa sua sutileza...

    bjo de luz
    =)

    ResponderExcluir
  12. Limerique

    Sob pés distraídos do passante
    Que alienado seguia adiante
    Versos esmagados
    Por pés apressados
    Que sequer esperam um instante.

    ResponderExcluir
  13. Ando sempre cabisbaixo... existem muitas preciosidades escondidas no chão!

    ResponderExcluir
  14. Venho agradecer a visita às Asas do Desejo, Vanessa, e retribuir a gentileza. Que blogue tão original o seu! Sucinto como poucos, puro e simples, luminoso na sua parcimónia e no muito que diz com tão poucas palavras!
    Um beijinho
    PS - E também a estou seguindo!

    ResponderExcluir
  15. Demais! Acho que ganhou mais uma fã ;)

    ResponderExcluir
  16. "até
    que um cabisbaixo
    o leu um dia" cara, muito bom.

    fiquei fã.
    http://hopelesstha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Viu como é bom ter esperanças???
    Sempre existe alguém com a cabeça curva para nos ler!

    ResponderExcluir
  18. Gosto muito do seu jeito de fazer versos, e nesse, notou um tipo de poesia que para mim é a mais bonita: a poesia de rua. Os muros, as calçadas, todas falam, rimas escritas num lugar urbano muda nosso dia mais do que um poema pronto no livro de literatura que nos mandaram interpretar. E muitas vezes esse verso foi feito para mudar o dia de um cabisbaixo, que precisava de versos pra voltar a acreditar. ^^

    ResponderExcluir